14/02/2011

Ventilação Mecânica - Parte II

  • ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM



VIGILÂNCIA CONSTANTE



  • O paciente nunca deve ser deixado sozinho e deve estar localizado de forma a ser visualizado continuamente;
  • Observação globalizada, constante e rápida;
  • „Coloração da pele ;
  • Grau de distensão de veias das regiões cervical e supraclaviculares;
  • Padrão respiratório: expansão torácica, simetria;
  • Batimentos de asa de nariz;
  • Eliminações: vômitos, diurese, drenagens por sondas, sudorese;
  • Pressão venosa central (PVC);
  • Circuitos respiratórios: posicionamento, escape de ar, ornamento do circuito acotovelamento e tracionamento do circuito;
  • Avaliação dos sinais vitais e monitorização cardiovascular;
CONTROLE DE SINAIS VITAIS E MONITORIZAÇÃO CARDIOVASCULAR

  • Refletem o estado geral do paciente;
  • Bradicardia e o aumento da freqüência respiratória;
  • Desorientação, hipertensão ou hipotensão e arritmias, principalmente taquicardia ou bradicardia repetitivas;
Reconhecer e diferenciar os sinais e sintomas:

  • Manifestação de angústia respiratória (sudorese, taquicardia, hipertensão, agitação);
  • Hipoxemia (cianose, bradicardia e hipotensão arterial);
MONITORIZAÇÃO DE TROCAS GASOSAS E PADRÃO RESPIRATÓRIO

  • Observar o padrão respiratório do paciente;
  • Expansão e deformidades na parede torácica;
  • Observar e controlar a dor torácica ;
  • Monitorizar as trocas gasosas;
Oximetria de pulso:

  • Monitorizar a saturação de oxigênio;
  • Local adequado de acordo com o tipo do sensor;
  • Observar constantemente se o sensor está conectado ao paciente;
  • avaliar o grau de perfusão periférica (cianose);
  • realizar o rodízio do local do sensor;
OBSERVAÇÃO DOS SINAIS NEUROLÓGICOS

  • A evolução e alterações do nível de consciência;
  • Sinais oculares como miose, midríase, fotomotricidade e simetria, o reflexo córneopalpebral;
  • Respostas neuromusculares aos estímulos dolorosos;
  • Reflexos da tosse;

Nenhum comentário:

Postar um comentário