29/01/2011

Aborto Espontâneo


     Aborto espontâneo é o término acidental de uma gravidez com menos de vinte semanas de gestação. 
   A causa mais comum é um defeito cromossômico no embrião ou feto que impede seu desenvolvimento natural. O defeito pode ser hereditário, causado pela exposição da mãe a certos medicamentos, radiação, ou resultar de doenças infecciosas.
     O primeiro sintoma de um aborto espontâneo é sangramento vaginal. Isto requer atenção médica imediata. Um feto nascido após cerca de vinte semanas de gestação é chamado natimorto (se nascido morto) ou prematuro (se nascido vivo).
    O segundo sintoma são cólicas abdominais,seguidos de contrações uterinas com grande frequências e dores fortes,e depois de ter ocorrido todos esses sintomas a genitora sente vontade forte de urinar e defecar e assim acontece a eliminação do feto (ou embrião).
   Muitas vezes, porém, a gestante necessita sofrer uma curetagem.
   Aborto espontâneo, como chamado pela terminologia médica,refere-se à perda de uma gravidez que acontece antes da vigésima semana de gestação. Muitas mulheres que passam por isso acham esse termo ofensivo. 
   No entanto, é importante destacar que o termo "aborto" simplesmente significa a perda de uma gestação. Não significa, ao menos no campo médico, que foi um aborto provocado, assim como é chamado o aborto causado pela escolha da mulher.

     Aborto Despercebido: Ocorre quando o corpo da mulher não expele o feto morto. Esse tipo de aborto pode passar por despercebido por várias semanas.
    Aborto Incompleto: Esse tipo de aborto ocorre quando o corpo da mulher expele apenas parte dos tecidos da gestação. Durante um aborto incompleto, partes do feto, saco amniótico ou placenta podem ser retidos.
   Aborto Completo: Esse tipo de aborto ocorre quando a mulher dá à luz a um feto não viável. Durante um aborto completo, o corpo da mulher expele todo o tecido gestacional. 
         Neste caso, só é possível saber se a mulher estava realmente grávida realizando o Ultrason Transvaginal, o exame de sangue HCG não acusará mais a gravidez.

    A perda de uma gestação não termina com o feto expelido – para muitos, o aborto é como a morte de um filho. Muitas mães se apegam à gravidez do início. Quando o aborto acontece, a mulher perde não só a sua gravidez, mas um filho e os sonhos para aquela criança.

    As estatísticas do aborto não são bem publicadas. O aborto seria muito mais fácil de se aceitar se o peso do silêncio sobre o tópico não fosse tão sério.
    O silêncio que permeia o tópico causa muita dor psicológica para a mãe que está sofrendo porque ela não pode sofrer de forma aberta e própria. O processo de aceitação providencia muito conforto emocional e saúde mental à mulher e, quando ela não pode sofrer abertamente, ela tem sofre sozinha.

Leia mais em:

http://vilamulher.terra.com.br/o-drama-do-aborto-espontaneo-8-1-53-71.html
http://www.allaboutlifechallenges.org/portuguese/estatisticas-de-aborto-espontaneo.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/Aborto_espont%C3%A2neo

Um comentário: